quarta-feira, 7 de março de 2012

Inconsciente


Quero quando seus olhos verdes
esparramam-se
por sobre
meus pensamentos,

toda ao sabor, deixo-me
da brisa primaveril
que esse perfume
da tua aura
traduz a mim.

Guardo discretamente
cada dos modos os lábios teus
nas palavras que tu imprimes
- despudorado.

Desprega-as de si
lançando, impiedoso
significados
dormentes
à poeira
de minha estrada.

Não notas o desespero
nos batimentos
do meu coração?

Ah! não.
Sórdido e vão!
Pois
que importância atribuirias
ao desconsolo
do meu corpo
de não tê-lo
grudado a si,

pois então?

Quero quando seus olhos verdes 
se desapegam 
de ti sobre todos 
os meus sentidos!



KIRO MENEZES



1 Opiniões:

Malu disse...

passando para prestigiar teu espaço e poder sentir estas belas palavras dispostas em versos. Lindo!!!
Um abraço